Ultimi post
Powered by Blogger.

O Filho do Seculo - Murilo Mendes

Il Figlio del Secolo

Mai più andrò in bicicletta
Né converserò al portone
Con le ragazzine dai capelli mossi
Addio walzer "Danubio Blu"
Addio pomeriggi pigri
Addio profumi del mondo samba
Addio amore puro
Ho lanciato nel fuoco la medaglietta della Vergine
Non ho forza per gridare un gran grido
Cadrò sul suolo del secolo venti
Conservatemi là fuori
Le moltitudini affamate giustiziere
Soggetti con gas velenosi
E' l'ora delle barricate
E' l'ora della fucilazione, della rabbia maggiore
I vivi chiedono vendetta
I morti  minerali vegetali chiedono vendetta
E' l'ora della protesta generale
E' l'ora dei voli distruttori
E' l'ora delle barricate, delle fucilazioni
Fame desideri ansie sogni perduti,
Miserie di tutti i paesi unitevi
Fuggite al galoppo dagli angeli-aeroplani
Caricando i calici di speranza
Tempo spazio punti d'appoggio perchè mi abbandonaste.



O filho do século

Nunca mais andarei de bicicleta
Nem conversarei no portão
Com meninas de cabelos cacheados
Adeus valsa "Danúbio Azul"
Adeus tardes preguiçosas
Adeus cheiros do mundo sambas
Adeus puro amor
Atirei ao fogo a medalhinha da Virgem
Não tenho forças para gritar um grande grito
Cairei no chão do século vinte
Aguardem-me lá fora
As multidões famintas justiceiras
Sujeitos com gases venenosos
É a hora das barricadas
É a hora da fuzilamento, da raiva maior
Os vivos pedem vingança
Os mortos minerais vegetais pedem vingança
É a hora do protesto geral
É a hora dos vôos destruidores
É a hora das barricadas, dos fuzilamentos
Fomes desejos ânsias sonhos perdidos, 
Misérias de todos os países uni-vos
Fogem a galope os anjos-aviões
Carregando o cálice da esperança
Tempo espaço firmes porque me abandonastes.

Item Reviewed: O Filho do Seculo - Murilo Mendes Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino