Ultimi post
Powered by Blogger.

Paulo Leminski




Paulo Leminski nacque il 24 agosto del 1944 a Curitiba. Suo padre, Paulo, era polacco e sua madre, Aurea Pereira Mendes, era di colore. Sin dai primi anni di studio, Paulo dimostrò una propensione verso la cultura e una grande genialità; fu, inoltre, uno scrittore molto fecondo. 
Sin da bambino, Leminski inventò uno stile poetico personale ed unico, preferendo brevi poesie, hakai, giochi di parole e i proverbi.
Nel 1958, a 14 anni, rimase per un anno nel Mosteiro de São Bento a San Paolo e partecipò al I Congresso Brasileiro de Poesia de Vanguarda di Belo Horizonte, dove conobbe Haroldo de Campos, futuro collaboratore. A 17 anni, si sposò con la disegnatrice e pittrice Neiva Maria de Souza (dalla quale si separò nel 1968). Nel 1964, furono pubblicate 5 poesie di Paulo sulla rivista Invençao di San Paolo, diretta da Decio Pignatari, portavoce della poesia concretista paulista. Un anno più tardi, di venne professore di História e Redação ai corsi pre-vestibulares. Nel 1966 vinse il primo posto al II Concurso Popular de Poesia Moderna.
Due anni più tardi, si sposò con la poetessa Alice Ruiz, con la quale convisse vent'anni. Poco dopo il fidanzamento, Leminski e Alice decisero di vivere con la prima compagna del poeta e il suo ragazzo in una specie di comune hippie. Rimasero nella comune per più di anno, fino a quando non nacque il primo dei tre figli di Paulo: Miguel Ângelo (morto a 10 anni d'età a causa di un linfoma). La coppia ebbe anche due figlie, Aurea e  Estrela Ruiz Leminski.
Dal 1969 al 1970, Leminski si trasferì a Rio de Janeiro, ma più tardi ritornò a Curitiba per diventare redattore pubblicitario. 
In poco tempo Paulo divenne un rispettato paroliere e musicista: Verdura (1981) fu registrata da Caetano Veloso nel disco Outras Palavras, l'arrivo della Jovem Guarda e del Tropicalismo, poi, fece il resto. La formazione intellettuale di Leminski era avanguardista, ma, per aver aderito alla controcultura e per aver pubblicato su riviste alternative, molti lo associavano alla generazione dei poeti marginali, sebbene non avesse avuto nulla a che fare con artisti quali Francisco Alvim, Ana Cristina César ou Cacaso. Paulo, tuttavia, in molte occasioni dichiarò la sua ammirazione per il poeta tropicalista e innovatore Torquato Neto.
Negli anni '70, le poesie e i testi di Leminski vennero pubblicati da diverse riviste, come: Corpo Estranho, Muda Código e Raposa. Nel 1975, lanciò Catatau che egli stesso definì una "prosa sperimentale". Oltre ad essere poeta e prosatore, l'artista lavorò anche come traduttore (tradusse in castigliano e inglese alcuni frammenti di Catatau, tradotta per intero in castigliano).
La poesia di Paulo Leminski fu molto influenzata dalla MPB e dall'opera di Augusto de Campos, Décio Pignatari, Haroldo de Campos.
Tra il 1970 e il 1989, il poeta collaborò con Caetano Veloso, con il gruppo A Cor Do Som e la band punk Beijo AA Força. La musica andava di pari passo con le opere di Leminski, questo favorì una ricca e variegada discografia.
Paulo, inoltre, convisse con Régis Bonvicino, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Moraes Moreira, Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik, Arnaldo Antunes, Wally Salomão, Antônio Cícero, Antonio Risério, Julio Plaza, Reinaldo Jardim, Regina Silveira, Helena Kolody, Turiba, Ivo Rodrigues.
Tra il 1984 e il 1986, a Curitiba, il poeta fu anche traduttore di Petrônio, Alfred Jarry, James Joyce, John Fante, John Lennon, Samuel Beckett e Yukio Mishima; Leminski, infatti, conosceva ben 6 lingue (inglese, francese, latino, spagnolo, greco, giapponese).
Nel 1986, a San Paolo, pubblicò il libro infantile Guerra Dentro da Gente.
Tra il 1987 e il 1989, Paulo curava una rubrica del Jornal de Vanguarda, presentata in Tv (sulla Rede Bandeirantes) da Doris Giesse. 
Il poeta fu anche uno studioso di lingua e cultura giapponese, pubblicando, nel 1983, una biografia di Basho e raggiungendo anche il grado di cintura nera di judo.
L'opera letteraria di Leminski fu così marcante da influenzare tutti i movimenti poetici degli ultimi 20 anni.
Paulo morì il 7 giugno del 1989, a seguito dell'aggravamento di una cirrosi epatica che lo accompagnava da diversi anni.

Opera:

Poesia:
  • Quarenta clics em Curitiba. Poesia e fotografia, com o fotógrafo Jack Pires.
  • Curitiba, Etecetera, 1976. (2ª edição Secretaria de Estado Cultura, Curitiba, 1990.) n.p.
  • Polonaises. Curitiba, Ed. do Autor, 1980. n.p.
  • Não fosse isso e era menos/ não fosse tanto e era quase. Curitiba, Zap, 1980. n.p.
  • Tripas. Curitiba, Ed. do Autor, 1980.
  • Caprichos e relaxos. São Paulo, Brasiliense, 1983. 154p.
  • e Ruiz, Alice. Hai Tropikais. Ouro Preto, Fundo Cultural de Ouro Preto, 1985. n.p.
  • Um milhão de coisas. São Paulo, Brasiliense, 1985. 6p.
  • Caprichos e relaxos. São Paulo, Círculo do Livro, 1987. 154p.
  • Distraídos Venceremos. São Paulo, Brasiliense, 1987. 133p. (5ª edição 1995)
  • La vie en close. São Paulo, Brasiliense, 1991.
  • Winterverno (com desenhos de João Virmond). Fundação Cultural de Curitiba, Curitiba, 1994. (2ª edição publicada pela Iluminuras, 2001. 80p.)
  • Szórakozott Gyozelmunk (Nossa Senhora Distraída) - Distraídos venceremos, tradução de Zoltán Egressy, Coletânea organizada por Pál Ferenc. Hungria, ed. Kráter, 1994. n.p.
  • O ex-estranho. Iluminuras, São Paulo, 1996.
  • Melhores poemas de Paulo Leminski. (seleção Fréd Góes) Global, São Paulo, 1996.
  • Aviso aos náufragos. Coletânea organizada e traduzida por Rodolfo Mata. Coyoacán - México, Eldorado Ediciones, 1997. n.p.
  • Toda a Poesia - Paulo Leminski, Companhia das Letras, 2013


Prosa:
  • Catatau (prosa experimental). Curitiba, Ed. do Autor, 1975. 213p.
  • Agora é que são elas (romance). São Paulo, Brasiliense, 1984.1 63p.
  • Catatau. 2ª ed. Porto Alegre, Sulina, 1989. 230p.
  • Metaformose, uma viagem pelo imaginário grego (prosa poética/ensaio). Iluminuras, São Paulo, 1994. (Prêmio Jabuti de poesia , 1995)
  • Descartes com lentes (conto). Col. Buquinista, Fundação Cultural de Curitiba, Curitiba, 1995.
  • Agora é que são elas (romance). 2ª ed. Brasiliense / Fundação Cultural de Curitiba, 1999.
  • Catatau. São Paulo, Iluminuras, 2010. 256p.


Biografie e saggi:
  • Cruz e Souza. São Paulo, Brasiliense. Coleção "Encanto Radical", n° 24, 1985. 78p.
  • Matsuó Bashô. São Paulo, Brasiliense, 1983. 78p.
  • Jesus. São Paulo, Brasiliense, 1984, 119p.
  • Trotski: a paixão segundo a revolução. São Paulo, Brasiliense, 1986.
  • Vida (biografias: Cruz e Souza, Bashô, Jesus e Trótski). Sulina, Porto Alegre, 1990. (2ª edição 1998)

Letteratura infantile:
  • Guerra dentro da gente. São Paulo, Scipione, 1986. 64p.
  • A lua foi ao cinema. São Paulo, Pau Brasil, 1989. n.p.


Musica:
  • 1981- Verdura - Caetano Veloso no disco Outras palavras
  • 1981- Mudança de estação -A cor do Som no disco Mudança de estação
  • 1981- Valeu - Paulinho Boca de Cantor no disco Valeu
  • 1982- Se houver céu - Paulinho Boca de Cantor no disco Prazer de viver
  • 1982- Razão - A Cor do Som no disco Magia tropical
  • 1990- Verdura - Blindagem no disco Blindagem
  • 1990- Se houver céu - Blindagem no disco Blindagem
  • 1993- Mãos ao alto - Edvaldo Santana no disco Lobo solitário
  • 1994- Luzes - Susana Sales no disco Susana Sales
  • 1996- Mudança de estação - A cor do Som no disco Ao vivo no circo
  • Gravações em parceria (Letras de Paulo Leminski e música dos parceiros)
  • 1976- Festa Feira - com Celso Loch no disco MAPA - Movimento de Atuação Paiol
  • 1982- Promessas demais - com Moraes Moreira e Zeca Barreto, gravação por Ney Matogrosso
  • 1982- Baile no meu coração - com Moraes Moreira no disco COISA ACESA
  • 1982- Decote Pronunciado - com Moraes Moreira e Pepeu Gomes no disco COISA ACESA
  • 1982- Pernambuco Meu - com Moraes Moreira no disco COISA ACESA
  • 1983- Sempre Ângela - com Moraes Moreira e Fred Góes no disco SEMPRE ANGÊLA de Ângela Maria
  • 1983- Teu Cabelo - com Moraes Moreira no disco PINTANDO O 8
  • 1983- Oxalá - com Moraes Moreira no disco PINTANDO O 8
  • 1984- Mancha de Dendê não sai - com Moraes Moreira no disco MANCHA DE DENDÊ NÃO SAI
  • 1984- Milongueira da Serra Pelada, O Prazer do Poder, Circo Pirado, Xixi nas estrelas, Cadê Vocês?, Coração de Vidro, Frevo Palhaço, Viva a Vitamina com Guilherme Arantes no disco PIRLIMPIMPIM 2
  • 1985- Alma de Guitarra - com Moraes Moreira no disco TOCANDO A VIDA
  • 1985- Vamos Nessa - com Itamar Assumpção no disco SAMPA MIDNIGHT
  • 1986- Desejos Manifestos - com Moraes Moreira e Zeca Barreto no disco MESTIÇO É ISSO
  • 1986- Morena Absoluta - com Moraes Moreira no disco MESTIÇO É ISSO
  • 1988- UTI - com Arnaldo Antunes, gravado por Clínica no disco CLÍNICA
  • 1990- Oração de um Suicida -com Pedro Leminski, Blindagem no disco BLINDAGEM
  • 1990- Sou legal eu sei - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Não posso ver - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Palavras - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Hoje - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Marinheiro - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Quanto tempo mais - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1990- Legião de anjos - com Ivo Rodrigues no disco BLINDAGEM
  • 1991- Lêda - com Moraes Moreira no disco CIDADÃO
  • 1991- Morena Absoluta - com Moraes Moreira no disco OPTIMUN IN HABBEAS COPPUS
  • 1992- Polonaise - com José Miguel Wisnik no disco JOSÉ MIGUEL WISNIK
  • 1992- Subir Mais - com José Miguel Wisnik no disco JOSÉ MIGUEL WISNIK
  • 1993- Alles Plastik - com Carlos Careqa no disco TODOS OS HOMENS SÃO IGUAIS
  • 1993- Freguês Distinto - com Edvaldo Santana no disco LOBO SOLITÁRIO
  • 1993- Custa nada sonhar - com Itamar Assumpção no disco BICHO DE 7 CABEÇAS
  • 1994- Polonaise - com José Miguel Wisnik na trilha sonora do filme ED MORT
  • 1995- O Deus - com Edvaldo Santana e Ademir Assunção no disco TÁ ASSUSTADO? de Edvaldo Santana
  • 1996- Filho de Santa Maria - com Itamar Assumpção, gravado por Zizi Possi no disco MAIS SIMPLES
  • 1997- Lua no Cinema - com Eliakin Rufino no disco SANSARA da Sansara
  • 1997- Lêda - com Moraes Moreira no disco 50 CARNAVAIS
  • 1997- Mancha de dendê não sai - com Moraes Moreira no disco 50 CARNAVAIS
  • 1997- Parece que foi ontem - com Bernardo Pelegrini no disco QUERO SEU ENDEREÇO da banda Bernardo ellegrini e o bando do cão sem dono.
  • 1997- Filho de Santa Maria - com Itamar Assunção no disco QUERO SEU ENDEREÇO da banda Bernardo Pellegrini e o bando do cão sem dono.
  • 1998- Legião de Anjos - com Ivo Rodrigues no disco DIAS INCERTOS
  • 1998- Rapidamente - com Ivo Rodrigues no disco DIAS INCERTOS
  • 1995- Filho de Santa Maria - com Itamar Assumpção,Banda Beco no disco BECO
  • 1995- V. de Viagem - com Banda Beco no disco BECO
  • 1995- Peso da Lua - com Banda Beco no disco BECO
  • 1998- Coisas - com Celso Loch no disco VERFREMDUNGSEFFEKT BLUES
  • 1998- Além Alma - com Arnaldo Antunes no disco UM SOM
  • 1998- Dor Elegante - com Itamar Assumpção no disco PRETOBRÁS
  • 1999- Perdendo Tempo - com Antonio Thadeu Wojciechowski / Roberto Prado / Walmor Douglas na trilha sonora do filme BAR BABEL da banda Maxixe Machine
  • 2001- Polonaise II - com Anna Toledo no CD Viva!
  • 2001- A palmeira estremece - com Guca Domenico no disco TE VEJO
  • 2004- Isto - com Carlos Careqa no CD Não sou filho de ninguém
  • 2007 - Além Alma - com Cassyano Correr, pela banda Escola de Robô no disco "um mais um mais"
Fonte: wikipedia Brasil

Item Reviewed: Paulo Leminski Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino