Ultimi post
Powered by Blogger.

Haiti – Caetano Veloso/Gilberto Gil

1993 - Tropicália 2[3]

      

 

Tropicalia 2 – Caetano Veloso/Gilberto Gil  

Anno: 1993  
Etichetta:  Polygram
   




Haiti

  
Quando você for convidado pra subir no adro
Da fundação casa de Jorge Amado
Pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De ladrões mulatos e outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados
E não importa se os olhos do mundo inteiro
Possam estar por um momento voltados para o largo
Onde os escravos eram castigados
E hoje um batuque um batuque
Com a pureza de meninos uniformizados de escola secundária
Em dia de parada
E a grandeza épica de um povo em formação
Nos atrai, nos deslumbra e estimula
Não importa nada:
Nem o traço do sobrado
Nem a lente do fantástico,
Nem o disco de Paul Simon
Ninguém, ninguém é cidadão
Se você for a festa do Pelô, e se você não for
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
E na TV se você vir um deputado em pânico mal dissimulado
Diante de qualquer, mas qualquer mesmo, qualquer, qualquer
Plano de educação que pareça fácil
Que pareça fácil e rápido
E vá representar uma ameaça de democratização
Do ensino do primeiro grau
E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital
E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco
Brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo
Diante da chacina
111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui

Haiti

 

Quando sarai invitato a salire nell’atrio

Della Fundaçao Casa de Jorge Amado

Per vedere dall’alto la fila di soldati, quasi tutti neri

Dando cazzotti sulla nuca di vagabondi neri

Di ladri mulatti e di altri quasi bianchi

Trattati come neri

Solo per dimostrare agli altri quasi neri

(E sono quasi tutti neri)

E ai quasi bianchi poveri come neri

Com’è che neri, poveri e mulatti

E quasi bianchi quasi neri per esser così poveri sono trattati

E non importa se gli occhi del mondo intero

Possano essere per un momento girati verso il largo

Dove gli schiavi venivano castigati

E oggi un batuque un batuque

Con la purezza di ragazzini con uniformi da escola secundaria

Nel giorno della parata

E la grandezza epica di un popolo durante la formazione

Ci attrae, ci affascina e stimola

Non importa nulla:

Nemmeno la marcia del soldato

Nemmeno l’obbiettivo di Fantastico,

Nemmeno il disco di Paul Simon

Nessuno, nessuno è cittadino

Se sarai alla festa del Pelourinho, e se non ci sarai

Pensa ad Haiti, prega per Haiti

Haiti è qui

Haiti non è qui

E in TV se vedrai un deputato in un panico mal dissimulato

Dinanzi qualsiasi, ma qualsiasi

proprio, qualsiasi, qualsiasi

Piano d’educazione che sembri facile

Che sembri facile e rapido

E rappresenta una minaccia di democratizzazione

Dell’insegnamento di primeiro grau

E se questo stesso deputato difenderà l’adozione della pena capitale

E il venerabile  cardinale dirà che vede tanta anima nel feto

Ma nessuna nel vagabondo

E se, nel passare con il rosso, il vecchio semaforo rosso abituale

Noterai un uomo pisciando all’angolo della strada su un sacco

Brillante d’immondizia di Leblon

E quando ascolterai il silenzio sorridente di San Paolo

Dinanzi il genocidio

111 prigionieri indifesi, ma arrestati sono quasi tutti neri, o quasi bianchi quasi neri per esser così poveri

E poveri sono come putrefatti e tutti sanno come si trattano i neri

E quando farai un giro ai Caraibi

E quando scoperai senza preservativo

E presenterai la tua intelligente adesione all’embargo contro Cuba

Pensa ad Haiti, prega per Haiti

Haiti è qui

Haiti non è qui

Torna alla scheda dell’artista

CAETANO VELOSO

Torna alla scheda dell’album

TROPICALIA 2

*traduzione non ufficiale

Item Reviewed: Haiti – Caetano Veloso/Gilberto Gil Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino