Ultimi post
Powered by Blogger.

Essa Que Eu Hei de Amar - Guilherme de Almeida

    

Guilherme de Almeida

24 de julho de 1890, Campinas, São Paulo
11 de julho de 1969, São Paulo

I libri di Guilherme de Almeida sono acquistabili su: Abebooks.it


Essa que eu hei de amar

Essa que eu hei de amar
perdidamente um dia
será tão loura, e clara, e vagarosa,
e bela,
que eu pensarei que é o sol que
vem, pela janela,
trazer luz e calor a essa alma
escura e fria.
E quando ela passar, tudo o que eu
não sentia
da vida há de acordar no coração,
que vela…
E ela irá como o sol, e eu irei atrás
dela
como sombra feliz… — Tudo isso
eu me dizia,
quando alguém me chamou. Olhei:
um vulto louro,
e claro, e vagaroso, e belo, na luz
de ouro
do poente, me dizia adeus, como
um sol triste…
E falou-me de longe: "Eu passei a
teu lado,
mas ias tão perdido em teu sonho
dourado,
meu pobre sonhador, que nem sequer me viste!"

Colei che Amerò

Colei che amerò perdutamente un
giorno,
sarà tanto bionda, e chiara, e calma, e
bella,
che penserò che sia il sole ad
arrivare,
attraverso la finestra,
a portare luce e calore a quest'anima
scura e fredda.
E, quando passerà, tutto ciò che non ho
sentito
della vita, si sveglierà nel cuore, che
nasconde...
E lei si alzerà come il sole, ed io
andrò
dietro di lei
come un' ombra felice... - Tutto ciò
dicevo a me stesso,
quando qualcuno mi chiamò.
Guardai:
un volto biondo,
e chiaro, e calmo , e bello,  nella luce
d'oro
del tramonto, mi diceva addio, come
un sole triste...
E disse da lontano:"Sono passata al
tuo lato,
ma vaghi tanto perso nel tuo sogno
dorato,
mio povero sognatore, che nemmeno
mi hai notata"

 Torna alla scheda dell’autore

 GUILHERME DE ALMEIDA

*traduzione non ufficiale

Item Reviewed: Essa Que Eu Hei de Amar - Guilherme de Almeida Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino