Ultimi post
Powered by Blogger.

Eterno - Carlos Drummond de Andrade

                                   
Carlos Drummond de Andrade  

31 ottobre 1902, Itabira, Mina Gerais  
17 agosto 1987, Rio de Janeiro  


I testi di Martha Medeiros possono essere acquistati su: Amazon, LaFeltrinelli.it e Abebooks.it


Eterno

Eterno, è tutto ciò che dura una frazione di secondo, ma con una tale intensità, che si pietrifica, e
nessuna forza mai lo libererà!
Facile è ascoltare la musica che si suona. Difficile è ascoltare la propria coscienze, accennando tutto il tempo, mostrando le nostre scelta sbagliate.
Facile è dettare regole.
Difficile è seguirle.
Avere la nozione esatta delle nostre vite,
invece di avere la nozione delle vite altrui. 
Facile è chiedere ciò che si desidera sapere...
Difficile è essere preparato per ascoltare la risposta.
O voler comprendere la risposta.
Facile è piangere o sorridere quando c'è volontà
Difficile è sorridere con volontà di piangere o piangere dal ridere, di allegria.
Facile è dare un bacio.
Difficile è concedere l'anima.
Sinceramente, per intero.
Facile è uscire con varie persone lungo la vita.
Difficile è comprendere che pochissime ti accetteranno per quello che sei e ti faranno felice per intero.
Facile è occupare un posto nella rubrica telefonica.
Difficile è occupare il cuore di qualcuno.
Sapere se si è realmente amati.
Facile è sognare tutte le notti.
Difficile è lottare per un sogno.
Facile è mentire ai quattro venti su ciò che tentiamo di camuffare.
Difficile è mentire al nostro cuore.
Facile è vedere ciò che vogliamo vedere.
Difficile è sapere che ci siamo illusi con ciò che avevamo visto.
Ammettere che ci lasciamo persuadere, ancora una volta, questo è difficile.
Facile è dire "oi" o "come stai?"
Difficile è dire "addio"
Principalmente quando siamo colpevoli dell' uscita di qualcuno dalle nostre vite...
Facile è abbracciare, stringere le mani, baciare ad occhi chiusi.
Difficile è sentire l'energia che è trasmessa.
Quella che si prende cura del nostro corpo come una corrente elettrica quando tocchiamo la persona certa.
Facile è voler essere amato.
Difficile è solo amare completamente.
Amare sinceramente, senza avere paura di vivere, senza aver paura del dopo.
Amare e concedersi.
E imparare a dar valore solamente a chi ti ama.
Parlare è completamente facile, quando si hanno in testa parole che esprimono la tua opinione.
Difficile è esprimere con gesti e intenzioni ciò che realmente vogliamo dire, o quanto vogliamo dire, prima che la persona se ne vada...
Facile è giudicare le persone che sono esposte per le circostanze.
Difficile è incontrare e riflettere sui propri errori, o tentare di fare in maniera diversa qualcosa che già è stata fatta in maniera errata.
Facile è essere amico, fare compagnia a qualcuno, dirgli che cosa vuol sentirsi dire.
Difficile è essere amico tutto il tempo e dire sempre la verità quando sarà necessario.
E con sicurezza di ciò che si dice.
Facile è analizzare la situazione altrui e dare consigli.
Difficile è vivere questa situazione e sapere cosa fare.
O avere il coraggio di fare.
Facile è dimostrare rabbia e impazienza quando qualcosa ti ha irritato.
Difficile è esprimere il proprio amore a qualcuno che ti conosce realmente, ti rispetta e ti comprende.
E è così che perdiamo le persone speciali.

Eterno
    
Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que
se petrifica, e nenhuma força
jamais o resgata!
Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência,
acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.
Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.
Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta, ou querer entender a resposta.
Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.
Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma,
sinceramente, por inteiro.
Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.
Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém.
Saber que se é realmente amado.
Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.
Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.
Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.
Fácil é dizer “oi” ou “como vai”?
Difícil é dizer “adeus”,
principalmente quando somos culpados pela  partida de alguém de nossas vidas…
Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.
Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois.
Amar e se entregar.
E aprender a dar valor  somente a quem te ama.
Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente
que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que  realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer,  antes que a pessoa se vá…
Fácil é julgar pessoas que estão  sendo  expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre  os seus erros,  ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.
Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém,  dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.
Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer.
Ou ter coragem pra fazer.
Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais!

 Torna alla scheda dell’autore

 CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

*traduzione non ufficiale

Item Reviewed: Eterno - Carlos Drummond de Andrade Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino