Ultimi post
Powered by Blogger.

Boa Noite - Castro Alves


Buonanotte

Buonanotte, Maria! Vado, via.
La luna dalle finestre batte piena.
Buonanotte, Maria!E' tardi... è tardi...
Non mi stringere così al tuo seno.


Buonanotte!... E dici - Buonanotte.
Ma non dirlo così tra i baci...
Ma non dirmelo scoprendo il petto,
- Mare d'amor dove vagano i miei desideri!

Julieta del ciel! Ascolta...la calandra
già rumoreggia il canto del mattino.
Tu dici che ho mentito?...dunque è una menzogna...
Chi cantò fu il tuo respiro, divina!


Se la stella polare gli ultimi raggi
Diffonde nei giardini di Capuleto,
Io dirò, scordandomi del crepuscolo:
"E' notte ancora nei tuoi capelli neri..."

E' notte ancora! Brilla sul cambrì
- Disordinato il vestito, la spada nuda
La sfera del tuo petto si dondola tra l'ermellino
Come tra le nevi si dondola la luna.

E' notte, dunque! Dormiamo, Julieta!
Profuma l'alcova all'esalar il profumo dei fiori.
Chiudiamo su di noi queste tende...
- Sono le ali dell'arcangelo degli amori.

La soffusa luce della lampada alabastrina
Lecca voluttuosa i tuoi contorni...
Oh! lasciami riscaldare i tuoi piedi divini
Al pazzo piacere delle mie labbra tiepide.

Donna del mio amore! Quando ai miei baci
Trema la tua anima, come la lira al vento,
Dai tasti del tuo seno che armonie,
Che scale di sospiri, bevo attento!

Ai! Canta la cavatina del delirio,
Ride, sospira, sussurra, brama e piange...
Marion!Marion!..E' notte ancora.
Cosa importano i raggi di una nuova aurora?!...

Come un nero e scuro cielo,
Su di me si spargono i tuoi capelli...
E lasciami dormire balbettando:
- Buonanotte! - formosa Consuelo.

Castro Alves



Boa Noite


Boa noite, Maria! Eu vou,me embora.
A lua nas janelas bate em cheio.
Boa noite, Maria! É tarde... é tarde. .
Não me apertes assim contra teu seio.


Boa noite! ... E tu dizes - Boa noite.
Mas não digas assim por entre beijos... 
Mas não mo digas descobrindo o peito,
— Mar de amor onde vagam meus desejos!


Julieta do céu! Ouve... a calhandra 
já rumoreja o canto da matina.
Tu dizes que eu menti? ... pois foi mentira... 
Quem cantou foi teu hálito, divina!


Se a estrela-d'alva os derradeiros raios
Derrama nos jardins do Capuleto,
Eu direi, me esquecendo d'alvorada:
"É noite ainda em teu cabelo preto..."


É noite ainda! Brilha na cambraia
— Desmanchado o roupão, a espádua nua
O globo de teu peito entre os arminhos
Como entre as névoas se balouça a lua. . .


É noite, pois! Durmamos, Julieta!
Recende a alcova ao trescalar das flores. 
Fechemos sobre nós estas cortinas...
— São as asas do arcanjo dos amores.


A frouxa luz da alabastrina lâmpada
Lambe voluptuosa os teus contornos...
Oh! Deixa-me aquecer teus pés divinos
Ao doudo afago de meus lábios mornos.


Mulher do meu amor! Quando aos meus beijos
Treme tua alma, como a lira ao vento,
Das teclas de teu seio que harmonias,
Que escalas de suspiros, bebo atento!


Ai! Canta a cavatina do delírio, 
Ri, suspira, soluça, anseia e chora. . .
Marion! Marion!... É noite ainda.
Que importa os raios de uma nova aurora?!...


Como um negro e sombrio firmamento,
Sobre mim desenrola teu cabelo...
E deixa-me dormir balbuciando:
— Boa noite! — formosa Consuelo.

Item Reviewed: Boa Noite - Castro Alves Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino