Ultimi post
Powered by Blogger.

Alfabeto Gestaltiano – Millor Fernandes

Millor_Fernandes_por_Cynthia_Brito

          

Millor Fernandes  

16 agosto 1923, Rio de Janeiro 
27 marzo 2012, Rio de Janeiro 


I libri di Millor Fernandes possono essere acquistati su: Amazon
 e Abebooks.it


Alfabeto Gestaltiano

L’A è una lettera con la cantina. Piove sempre un poco sull’à con la crasi. La B è una l che si è innamorata del 3. La b minuscola è una lettera gravida. Alla C resta solo un’uscita. La Ç cedilha, non tira via mai la cravatta. La D è un berimbau biblico. La e minuscola è una lettera steatopigica (la steatopigia, insegno a chi è rimasto indietro, è una persona che ha una certa parte del corpo all’indietro e in basso, molto brutta). La E ride eternamente delle altre lettere. La F, con il suo cappello sugli occhi, è un gangster in attesa di un’opportunità. La f minuscola è una stazione di servizio antica. la piccola punta della G è ciò che le dà quest’aria sdegnosa. La g minuscola è un serpente da fachiro. L’H è una lettera duplice. La parte di sopra è muta. Serve anche come scala per far raggiungere il senso alle altre lettere. L’h minuscola è un dinosauro. L’I maiuscolo conserva, nel portamento di lettera, un poco del numero I romano. L’i minuscolo è un Kendama. La J, con il suo uncino da pirata, ruba a volte il posto alla g. La j minuscola è una foca che gioca con la sua pallina. Si vede nitidamente; la K è una lettera incompiuta. Per adesso ha solo l’impalcatura. Sembra che faranno una R. Insieme alla k minuscola la K maiuscola prova il passo dell’oca. L’L maiuscola sembra una l estratta con radice e tutto il resto. Ma la l minuscola non riesce a nascondere che è un numero (1) romano che spia il numero arabo. La M maiuscola è un grafico dalla firma instabile. La m minuscola è una catena montuosa. La N è una M zoppa. Sulla n minuscola si può giocare a cricket con la pallina dell’o. L’O maiuscolo sbadiglia abbondantemente dinanzi alla noiosità della altre lettere. L’o minuscolo è un buchetto nell’alfabeto. La p è una d che pianta banani. O la q che torna indietro. La Q maiuscola va sempre con il laccio della scarpa slegato. La q minuscola è una p che si guarda di schiena allo specchio. La R è diventata così per aver praticato pesi. Si evince che la s è un dollaro mal riuscito. La S maiuscola è un cigno orgoglioso. Sulla bilancia della T si fa giusTizia. La U è il ferro di cavallo dell’alfabeto che protegge il galoppare delle idee. L’u minuscolo è una n con le zampe all’aria. La V è una punta di freccia. La W sono V siamesi. La x è un incrocio. La Y è la tazza dove bevono le altre lettere. E’ sparita dall’alfabeto perchè si è costituita codardamente, con le
braccia in alto. La Z è il tragitto più corto tra due bar. La z minuscola è una s cubista.

Questa composizione gestaltiana ha portato via anni, letteralmente, per esser compiuta. E’ andata migliorando in proporzione al tempo – agli anni, Mio Dio! – che sono trascorsi. Pubblicata la prima volta nel 1958, sulla rivista O Cruzeiro, venne riscritta per varie pubblicazioni. Non si riesce a fare tale tipo di cose, in una sola occasione. Devi essere un pò cinese.


Alfabeto Gestaltiano

O A é uma letra com sótão. Chove sempre um pouco sobre o àcraseado. O B é um l que se apaixonou pelo 3. O b minúsculo é uma letra grávida. Ao C só lhe resta uma saída. O Ç cedilha, esse jamais tira a gravata. O D é um berimbau bíblico. O e minúsculo é uma letra esteatopigia (esteatopigia, ensino aos mais atrasadinhos, é uma pessoa que tem certa parte do corpo, que fica atrás e embaixo, muito feia). O E ri-se eternamente das outras letras. O F, com seu chapéu desabado sobre os olhos, é um gangster à espera de oportunidade. O f minúsculo é um poste antigo. A pontinha do G é que lhe dá esse ar desdenhoso. O g minúsculo é uma serpente de faquir. O H é uma letra duplex. A parte de cima é muda. Serve também como escada para as outras letras galgarem sentido. O h minúsculo é um dinossauro. O I maiúsculo guarda, em seu porte de letra, um pouco do número I romano. O i minúsculo é um bilboquê. O J, com seu gancho de pirata, rouba às vezes o lugar do g. O jminúsculo é uma foca brincando com sua bolinha. Vê-se nitidamente; o K é uma letra inacabada. Por enquanto só tem os andaimes. Parece que vão fazer um R. Junto com o k minúsculo o K maiúsculo treina passo-de-ganso. O L maiúsculo parece um l que extraíram com raiz e tudo. Mas o l minúsculo não consegue disfarçar que é um número (1) romano espionando o número arábico. O M maiúsculo é um gráfico de uma firma instável. O m minúsculo é uma cadeia de montanhas. O N é um M perneta. No n minúsculo pode-se jogar críquete com a bolinha do o. O O maiúsculo boceja largamente diante da chatice das outras letras. O o minúsculo é um buraquinho no alfabeto. O p é um d plantando bananeira. Ou o q, vindo de volta. O Q maiúsculo anda sempre com o laço do sapato solto. O q minúsculo é um p se olhando de costas ao espelho. O R ficou assim de tanto praticar halterofilismo. Sente-se que o s é um cifrão fracassado. O S maiúsculo é um cisne orgulhoso. Na balança do T se faz jusTiça. O U é a ferradura do alfabeto, protegendo o galope das idéias. O u minúsculo é um n com as patinhas pro ar. O V é uma ponta de lança. O W são vês siameses. O X é uma encruzilhada. O Y é a taça onde bebem as outras letras. Desapareceu do alfabeto porque se entregou covardemente, de braços pra cima. O Z é o caminho mais curto entre dois bares. O z minúsculo é um scubista.

Esta composição gestaltiana levou anos, literalmente, para ser feita. Foi melhorando na medida em que o tempo – os anos, Deus meu! – foram passando. Publicada a primeira vez em 1958, na revista O Cruzeiro, foi reescrita para várias publicações. Não se consegue fazer esse tipo de coisa, numa sentada só. Tem que ser um pouco chinês.

 

 Torna alla scheda dell’autore

 MILLOR FERNANDES

*traduzione non ufficiale

Item Reviewed: Alfabeto Gestaltiano – Millor Fernandes Rating: 5 Reviewed By: Gianluigi D'Agostino